Como e Por Que investir em Tesouro Direto?

Como e Por Que investir em Tesouro DiretoSe você investe em Poupança já deve ter percebido que a “queridinha do brasileiro” já não rende o que costumava render no passado. Não que a Poupança tenha tido historicamente um bom rendimento, mas pelo menos sempre ganhava da inflação (IPCA).

Veja no gráfico abaixo que nos últimos anos a Poupança tem tido um rendimento real muito pequeno e no ano de 2013 chegou a ter um rendimento real de somente (0,12%). Isto quer dizer que quem investiu R$1.000,00 em 01/01/2013 teria acumulado  R$1.001,20 (já descontada a inflação) até 31/12/2014. Convenhamos, é muito pouco, até para os padrões de rendimento da poupança!

poupancaxipca

O que fazer então?

O negócio então é fazer outro tipo de investimento. Mas a cultura do brasileiro não aprova investimentos de risco, mesmo que seja moderado como é o caso dos CDBs, Fundos de Renda Fixa e Fundos Imobiliários. Se for falar em investimento em ações, aí é que são poucos os que vão partir para esta opção, já que oferece alto risco. Além do mais, ações também não tem sido um bom investimento nos últimos anos. Só estão ganhando em ações profissionais especializados.

Considerando o baixíssimo risco e a boa rentabilidade, uma ótima opção seria o Tesouro Direto. Investindo em Tesouro Direto você compra papéis emitidos pelo Governo Federal (títulos públicos) com promessa de pagamento de acordo com o rendimento e prazo estipulado para cada tipo de papel. Simplificando, você só vai tomar o cano se o Brasil quebrar.

Escolhendo o título para investir:

Os papéis negociados no Tesouro Direto podem ser prefixados (LTN e NTN-F) ou posfixados (LFT e NTN-B). Para entender melhor esta sopa de letrinhas, veja Este Excelente Artigo do UOL Economia.

À primeira vista parece ser algo muito complicado, que seria indicado somente para especialistas, mas é só entender a diferença entre os títulos que você vai ver que não é um bicho de 7 cabeças ( só de 2 cabeças 🙂 ).

Agora que você sabe o que são os títulos, veja Este Excelente Artigo da Infomoney para saber como escolher o título que melhor se adapta aos seus objetivos. Veja também Neste Link qual o rendimento estabelecido e as datas de vencimento dos títulos.

Escolhendo a sua corretora:

Bem, agora que você já sabe em qual título vai investir, é passar para a prática. No meu caso, como eu tenho conta no Banco do Brasil, preferi utilizar a BB Banco de Investimentos para que fosse o meu agente de custódia junto à BM&F Bovespa. Mas não precisa se preocupar muito com definições agora.

Veja Nesta Lista as Instituições Financeiras habilitadas (também chamadas de Agentes de Custódia) a oferecer o Tesouro Direto a seus clientes. Na lista existem corretoras de vários bancos e corretoras independentes.

Na prática, o que vai diferenciar as corretoras, já que a segurança é a mesma é o atendimento e a taxa de administração. Consulte Neste Link a taxa de administração cobrada pela corretora que você escolheu e não se esqueça de compará-la com as demais corretoras. Veja que a minha corretora, a do Banco do Brasil, tem uma das maiores taxas de administração. Infelizmente só descobri isso depois de abrir minha conta e fazer meu primeiro investimento. Provavelmente mudarei no futuro. Eu acho isso um absurdo pois os bancos oficiais (BB e CEF) deveriam ser os primeiros a incentivar os brasileiros a investirem no Tesouro Direto, mas infelizmente a verdade é outra…

Para abrir sua conta na corretora vai dar um pouquinho de trabalho, se eu for tomar como exemplo o que aconteceu comigo no Banco do Brasil. Primeiro tive que atualizar todo o meu cadastro. Depois tive que preencher um questionário destinado a descobrir meu “perfil de investidor”. Por que não pedem para você preencher este questionário quando vai investir na poupança?

Por último tive que assinar e rubricar um contrato com 50 folhas! Isso mesmo, 50 folhas. Eu até ri junto com a funcionária do BB que me atendeu. Isso faz sentido para você? Para mim não faz…

Isso, no meu modo de ver, nada mais é do que o Banco tentando desmotivar (para ser delicado) o cliente a investir em um produto que não interessa ao Banco já que o cobraria taxas de administração muito maiores em outros produtos de investimento.

Pensando como banco: Vou incentivar o que me dá mais lucro. Por isso, amigos, o pior conselheiro financeiro que você pode ter é o gerente do seu banco.

Mas deixa para lá. Vamos ao que interessa.

Realizando a sua primeira compra de títulos:

Depois disso tudo você vai passar a ter acesso à plataforma de negociação do Tesouro Direto. No meu caso o acesso é integrado ao Home Banking, com acesso pela Internet. No meu caso, a plataforma é fácil de usar e intuitiva. Fiz minha primeira compra sem problemas.

A venda de títulos é feita uma vez por dia. Você tem que agendar a compra e aprovisionar o dinheiro correspondente. No meu caso, como a plataforma é integrada, o valor total foi debitado na minha conta corrente.

 

Bem, apresentei aqui o caminho que eu trilhei para começar meu investimento em Tesouro Direto. Espero que as dicas aqui apresentadas sejam úteis para ajudar você a se decidir pelo melhor título e melhor corretora.

Se gostou das informações e deseja explorar todo o potencial que o Tesouro Direto pode oferecer, clique no banner abaixo:



Deixe abaixo seu comentário sobre o post ou sobre a sua experiência com o Tesouro Direto.

 

2 comments

  1. […] Recebi muitas perguntas sobre o post “Como e Por Que Investir no Tesouro Direto“. […]

  2. […] Se você deseja saber mais sobre como fazer um investimento seguro e com rendimento superior à poup… […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *